Jim Watson/AFP
Jim Watson/AFP

Charleston inicia funerais de vítimas de ataque a igreja

O presidente dos EUA, Barack Obama, fará um discurso na sexta-feira no enterro de Clementa Pinckey, senador e pastor da igreja, vítima do ataque

O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2015 | 12h33

CHARLESTON, EUA - Milhares de pessoas participam nesta quinta-feira, 25, dos primeiros funerais das vítimas do tiroteio na Igreja Metodista Episcopal Africana Emanuel, em Charleston, na Carolina do Sul, que deixou nove mortos na semana passada. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fará um discurso sexta-feira no enterro de Clementa Pinckey, senador e pastor da igreja, vítima do ataque.

Algumas horas antes do corpo do pastor retornar para a igreja, membros e fiéis da congregação lotaram o local no qual, há uma semana, Dylan Roff, de 21 anos, abriu fogo contra os frequentadores negros durante uma reunião de estudo da Bíblia. As autoridades investigam o ato como crime de ódio.

"Em razão da nossa fé, nós viemos aqui mais uma vez para declarar que Jesus vive, e porque ele vive, nós podemos encarar o amanhã", disse o pastor interino, Norvel Goff, para uma igreja lotada de pessoas.

Clementa Pinckney, vítima do ataque, tornou-se o primeiro negro desde a Reconstrução, período pós-Guerra Civil, em 1877, a receber honras fúnebres da Assembleia Legislativa da Carolina do Sul. Pinckney trabalhou como político na Assembleia Legislativa por quase 20 anos. De acordo com as autoridades, mais de 4 mil pessoas compareceram ao local para honrá-lo. / ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.