Primeiros presos cubanos chegam amanhã, diz Espanha

O Ministério das Relações Exteriores da Espanha informou hoje que o primeiro grupo de prisioneiros políticos cubanos chegará a Madri amanhã. Uma porta-voz do ministério informou que os dissidentes devem chegar com suas famílias no início da tarde. A agência espanhola Europa Press informou hoje que, segundo o chanceler espanhol Miguel Ángel Moratinos, sairão na primeira leva 11 prisioneiros. O número ainda não foi confirmado.

AE-AP, Agência Estado

12 de julho de 2010 | 10h48

O governo cubano prometeu na quarta-feira libertar 52 presos de consciência na ilha, após negociações com o Vaticano e a Espanha. Se levada adiante, essa será a maior libertação de dissidentes cubanos desde 1998, quando 299 foram soltos após uma visita do papa João Paulo II a Cuba. Os opositores beneficiados foram presos em 2003 na repressão conhecida como "Primavera Negra", na qual 75 foram detidos sob acusação de conspirar com os Estados Unidos.

A ilha caribenha vem sendo pressionada para tomar passos mais firmes em direção à democracia. A porta-voz do governo falou sob condição de anonimato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.