Primo do imperador Akihito termina tratamento de alcoolismo

Príncipe busca superar problemas com bebida que vêm desde 'seus tempos de universidade'

Efe

22 Julho 2007 | 17h27

O primo do imperador Akihito, que no mês passado admitiu seu alcoolismo, terminou neste domingo, 22, um tratamento para curar sua dependência da bebida, informaram fontes oficiais. Segundo fontes da Casa Imperial citadas pela agência japonesa Kyodo, o príncipe Tomohito, de 61 anos, voltará a suas funções diárias "enquanto tenta recuperar completamente sua saúde". Tomohito foi internado no fim de junho, com um estado de saúde extremamente delicado. Ele sofria sérios problemas de insônia e contínuas dificuldades para se alimentar, relacionadas com seu alcoolismo. No dia 8 de junho, em discurso, Tomohito explicou em tom de piada que sua dependência do álcool vinha dos tempos de universidade e por isso era "estranho só criar problemas agora". Ele acrescentou que nos últimos anos seu consumo tinha aumentado, devido à ansiedade provocada pelo debate sobre a sucessão imperial e outros problemas da família. A ausência de um herdeiro para o Trono do Crisântemo provocou debates sobre a lei sálica, que proíbe as mulheres de serem monarcas regentes. Tomohito era contra a reforma. Ele defendia a volta do antigo sistema das concubinas, para o príncipe herdeiro Naruhito, de 47 anos, aumentar suas possibilidades de ter um filho homem. O nascimento de um menino em 6 de setembro, filho do príncipe Akishino, de 40 anos, irmão de Naruhito, acabou com os planos da reforma da Lei de Sucessão.

Mais conteúdo sobre:
AkihitoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.