REUTERS/Marco Bello
REUTERS/Marco Bello

Principal diplomata de carreira do Departamento de Estado deixa governo Trump

Referência em América Latina na diplomacia americana, o ex-embaixador americano no Brasil Thomas Shannon anuncia sua aposentadoria

O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2018 | 13h01

WASHINGTON - Principal diplomata de carreira no Departamento de Estado e referência em América Latina na diplomacia americana, o ex-embaixador americano no Brasil Thomas Shannon anunciou sua aposentadoria nesta quinta-feira, 1, em entrevista à agência Associated Press

+ Secretário de Estado dos EUA exclui Brasil de primeira viagem oficial para a América Latina

A saída de Shannon do serviço diplomático ocorre após um ano de profundas perdas na cúpula de carreira do departamento. Dos cinco principais diplomatas de carreira em serviço na posse do presidente Donald Trump, apenas um segue no cargo, mas está de licença. Shannon atribuiu sua saída a questões pessoais.

 O secretário de Estado Rex Tillerson, apontado como um dos responsáveis pela reformulação do departamento, disse que preferia que o diplomata, com 35 anos de carreira, continuasse no posto. 

+ Após exclusão de grupo opositor, cresce pressão para isolar Venezuela

“Decidi que era o momento de tomar um tempo e decidir o que fazer como a minha vida”, disse Shannon, que citou a morte da mãe como um dos motivos que o levaram a cogitar da aposentadoria. O diplomata ressaltou, no entanto, que esperou o primeiro ano do governo Trump para concluir a complicada transição no departamento, marcada pela saída de diversos diplomatas e pela dificuldade na nomeação de embaixadores e outros membros de segundo e terceiro escalão. 

Além de ter sido embaixador no Brasil,  Shannon teve papel importante na crise na Venezuela, quando foi interlocutor do governo americano com o chavismo em diversas ocasiões nos últimos cinco anos. / AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.