Príncipe Charles elogia teólogo que assumiu ser homossexual

O príncipe Charles da Inglaterra acirrou a polêmica na Igreja Anglicana sobre a ordenação de bispos homossexuais ao elogiar o primeiro sacerdote da confissão a se declarar abertamente homossexual.Charles elogia o teólogo anglicano Harry Williams no prólogo de um livro póstumo de ensaios do sacerdote, que morreu este ano aos 86 anos, segundo a edição de hoje do "The Daily Telegraph".A intervenção na polêmica sobre o homossexualismo entre os religiosos do homem que, quando chegar ao trono, será o líder da Igreja Anglicana alarmará os bispos conservadores, diz o jornal.Estes se mostram cada vez mais preocupados com o número crescente de padres homossexuais que se casaram com seus parceiros desde que entrou em vigor no Reino Unido a lei sobre este tipo de união, no ano passado.Em sua autobiografia "Algum dia te encontrarei", publicada em 1982, Williams escandalizou muitos anglicanos ao escrever abertamente sobre sua opção homossexual.Lembrando seus dias de estudante da Universidade de Cambridge, o teólogo anglicano confessava: "Eu me deitei com vários homens, em alguns casos com muita regularidade. Eram amigos meus. Os cínicos rirão com certeza, mas nunca me senti mais grato a Deus que enquanto praticava o ato sexual".Williams era deão do Trinity College, de Cambridge, quando o Príncipe de Gales ingressou nesta Universidade em 1967.Agora, em um homenagem ao teólogo, Charles da Inglaterra quis fazer o prefácio de seu livro autobiográfico, intitulado "Living Free", que será publicado este mês."Harry Williams demonstrou ser uma estrela, um homem de intensa humanidade e carinho", escreve o filho de Elizabeth II, que elogia seu "senso de humor e sua originalidade", assim como sua "acessibilidade".O príncipe não se refere diretamente ao fato de Williams ser homossexual, embora o insinue ao elogiar a "coragem" que demonstrou ao ser sincero e falar "com o coração na mão das vicissitudes, complicações e decisões agonizantes" de sua vida.A sinceridade de tão íntimas confissões "tocou o coração de muitos universitários", lembra Charles.Segundo o "The Sunday Telegraph", o herdeiro do trono parece mostrar grande compreensão no prefácio que escreveu sobre o estilo de vida de Williams e o "polêmico vínculo que estabelece entre Deus e a atividade homossexual".O príncipe de Gales pediu a Williams que fizesse uma oração em seu casamento, em 1981, com Diana Spencer, e alguns amigos acham que batizou seu segundo filho de Harry em sua homenagem.As divisões na Igreja Anglicana em torno do homossexualismo se exacerbaram em 2003 por causa da nomeação do homossexual Jeffrey John como bispo de Reading. John se viu obrigado a renunciar ao cargo eclesiástico e este ano se uniu oficialmente a seu parceiro de muitos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.