Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Príncipe Charles faz visita surpresa ao Afeganistão

O príncipe Charles fez hoje uma visita inesperada ao Afeganistão e esteve na província sul de Helmand, onde é grande a presença de combatentes do Taleban. O local é o mesmo também onde seu filho mais novo, Harry, serviu por dez semanas, até que seu envio foi descoberto pela imprensa. Vestindo roupas militares, Charles relembrou como se preocupou com Harry quando ele estava em Helmand e disse compreender as famílias dos soldados britânicos que servem no país.

AE-AP, Agencia Estado

25 de março de 2010 | 15h02

"Eu sei porque, quando meu filho mais novo estava lá, como pai, você se preocupa o tempo todo", disse Charles aos jornalistas depois de depositar uma coroa de papoulas e cravos brancos de papel para os que morreram, na maior base britânica em Helmand. Charles disse que as tropas podem se manter ocupadas nos campos de batalha, mas, para os parentes que ficam, é "horrível".

A Grã-Bretanha perdeu 276 soldados desde que a guerra começou em 2001, atrás apenas dos Estados Unidos. Soldados britânicos têm combatido os Taleban, majoritariamente, em Helmand, o centro do comércio ilegal de narcóticos do Afeganistão, que financia o grupo militante.

Charles expressou seu apoio aos soldados britânicos durante sua visita de um dia, que foi elogiada pelos soldados. "Eu acho que é bom para os caras que estão na guerra há seis meses", disse o sargento Guy Harris, do 2º Batalhão do Regimento de Yorkshire. "É bom eles saberem que há pessoas que estão interessadas no que eles estão fazendo. É como os pacotes que recebem de casa."

Charles também visitou, com líderes locais, a capital provincial de Lashkar Gah, sentando-se de pernas cruzadas numa almofada enquanto conversava sobre a situação em Helmand. "O príncipe tem muito interesse no programa de desenvolvimento integrado para a província de Helmand após a ofensiva de Marjah", disse Jalani Popal, diretor-geral do Diretório Independente de Governança Local do Afeganistão. "Seu foco é melhorar as condições de vida e de trabalho."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.