Príncipe Charles reivindica direito à privacidade em processo

O príncipe Charles tem o direito de manter sob sigilo seus diários, argumentou nesta terça-feira seu advogado durante audiência na qual o herdeiro do trono acusa um jornal e um ex-funcionário por violação de termos de confidencialidade e direitos autorais.Charles quer que o Superior Tribunal da Grã-Bretanha determine que o jornal Mail on Sunday violou seus direitos ao publicar trechos de um diário particular nos quais ele compara funcionários chineses a "estátuas de cera velhas e pavorosas".O príncipe alega que os diários, que incluem algumas reflexões sobre o fim do domínio britânico sobre Hong Kong, em 1997, foram copiados por Mark Bollan, seu funcionário durante 1996 e 2002, e entregues ao jornal.O advogado do príncipe, Hugh Tomlinson, também pediu a devolução de sete velhos diários supostamente copiados por Bollan. "Não se trata de segredos de Estado. Estamos lidando com um diário comum que poderia ser mantido por qualquer cidadão", alegou.Charles admite que é alvo de interesse público. "Entretanto, ele tem o direito de manter consigo seus documentos particulares", disse o advogado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.