Chris Jackson/REUTERS
Chris Jackson/REUTERS

Príncipe Harry lamenta não ter comunicado rainha antes de anunciar decisão, diz jornal

Duque de Sussex e Meghan Markle surpreenderam família real na última quarta-feira, 8

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2020 | 17h36

Uma semana após anunciar que renunciará a funções do alto escalão da família real britânica ao lado de sua esposa, Meghan Markle, o príncipe Harry estaria arrependido de não ter consultado a avó, rainha Elizabeth II, antes de comunicar publicamente a decisão. A informação é do jornal britânico The Telegraph, que cita uma fonte anônima próxima aos Windsor.

A afirmação chega após uma reunião familiar que discutiu os trâmites da decisão do casal, seguida por um comunicado oficial da Rainha divulgado na última segunda-feira, 13. No texto, Elizabeth II afirmou que as conversas foram ‘construtivas’ e que concordava com a decisão.

"Apesar de preferir que eles permanecessem membros que atuam em período integral na família real, respeitamos e entendemos o desejo de viverem uma vida mais independente", escreveu ainda a rainha.

Ainda não se sabe ao certo qual será o destino do duque e da duquesa de Sussex. Harry, Meghan e seu filho Archie passaram o Natal no Canadá e a ex-atriz americana retornou ao país nesta semana. O casal afirmou que pretende viver parte do ano no Reino Unido e parte na América do Norte. 

Até agora, Meghan e Harry abriram mão de seu subsídio mensal, embora expressem o desejo de manter seus títulos como duques, proteção policial e uso do Frogmore Cottage, uma casa nos terrenos do Castelo de Windsor, a oeste de Londres, cuja reforma foi paga com 2,4 milhões de libras (cerca de R$ 13 milhões) do Tesouro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.