Príncipe Harry pode ser enviado ao Afeganistão, diz jornal

Mudança evitaria que o 3.º na linha de sucessão do trono britânico deixasse Exército

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h48

Comandantes militares de alta patente do Reino Unido planejam em segredo enviar ao Afeganistão o príncipe Harry, filho mais novo do príncipe Charles e terceiro na linha de sucessão do trono britânico, para evitar que o jovem deixe o Exército, revelou em sua edição deste domingo, 10, o jornal The Sunday Times. O príncipe, de 22 anos, estaria treinando desde sábado em uma base militar britânica em Alberta, no Canadá, e pode ser enviado ao Afeganistão sem alarde. Harry, que é segundo tenente, tem aprendido a conduzir veículos encouraçados, sobretudo de reconhecimento, acrescenta a publicação. Aparentemente, o filho do herdeiro da Coroa britânica teria decidido deixar o Exército após a recente decisão do Ministério da Defesa de não enviá-lo ao Iraque por razões de segurança. Em maio, o chefe de Estado-Maior do Exército britânico, general Richard Dannatt, anunciou que Harry não iria ao Iraque por ter recebido uma série de ameaças específicas. No país árabe, o príncipe ficaria com seu batalhão, o Blues and Royals da Guada Real, regimento mais importante e antigo do Exército britânico e ao qual também pertence seu irmão William, de 24 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.