Príncipe Harry receberá treinamento especial antiseqüestro

O príncipe Harry, que servirá no Iraque a partir de maio e já foi ameaçado de morte pelas forças rebeldes, receberá treino especial como prevenção para um possível seqüestro, afirmou o jornal britânico The Sun. O filho mais novo do príncipe Charles e da falecida princesa Diana comandará no Iraque uma unidade de 12 homens dos esquadrões do Household Calvary Regiment, ao qual pertence. Segundo a publicação, grupos radicais ameaçaram através de sites matar ou seqüestrar Harry, de 22 anos e terceiro na linha de sucessão à coroa. Diante de qualquer eventualidade, o príncipe e seus companheiros serão submetidos a um treino numa base militar de Norfolk, sudeste da Inglaterra, onde simularão serem reféns. Na simulação, os soldados libertarão o filho do príncipe Charles com gás lacrimogêneo e granadas. A zona militar de Norfolk, que servia de treino para o conflito na Irlanda do Norte, foi adaptada para simular as condições no Iraque. Uma das ameaças disse o seguinte: "o príncipe Harry será enviado ao Iraque para ser morto por muçulmanos". Segundo informações recentes do Ministério britânico da Defesa, o príncipe, com categoria de subtenente, desempenhará o trabalho de comandante de tropa normal e terá à sua disposição uma unidade de 12 homens e quatro veículos encouraçados de reconhecimento Scimitar.

Agencia Estado,

05 Março 2006 | 07h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.