Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Daniel Leal-Olivas/AFP
Daniel Leal-Olivas/AFP

Príncipe Harry revela ter tido problemas com álcool e drogas e mágoa de Charles

Príncipe britânico, que abandonou a família real no ano passado, descreve uma fase “de pesadelos” em sua vida, principalmente entre os 28 e os 32 anos

Redação, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2021 | 15h18

LOS ANGELES - O príncipe Harry revelou ter tido problemas com álcool, drogas e transtorno de ansiedade durante parte de sua juventude, como reflexo dos traumas provocados pela morte de sua mãe, a princesa Diana, e seus deveres como membro da família real britânica. As revelações estão num documentário coproduzido pelo próprio Harry e a apresentadora Oprah Winfrey para a Apple TV Plus. 

No episódio, o príncipe britânico, que abandonou a família real no ano passado, descreve uma fase “de pesadelos” em sua vida, principalmente entre os 28 e os 32 anos – hoje ele tem 36. Nessa época, o príncipe disse ter abusado do consumo de álcool e drogas, sem especificar quanto ou quais delas tenha tomado, nem em que idade começou a consumi-las. 

“Eu estava disposto a beber, a usar drogas e a fazer qualquer coisa que me fizesse parar de sentir o que eu sentia”, conta o príncipe. 

Na entrevista, Harry ainda mostra ressentimento com o pai, o príncipe Charles. "Quando eu era mais jovem, meu pai disse a William e a mim: era assim para mim, então será a mesma coisa para vocês", revelou Harry, de 36 anos, sobre a agressividade dos tabloides britânicos que esfregam as mãos com rumores e escândalos da família real. Ele tinha 12 anos quando perdeu a mãe.

“Não faz sentido”, continuou o duque de Sussex. "Não é porque você sofreu que seus filhos também deveriam sofrer. Deveria ser até o contrário (...) Faça de tudo para transformar as experiências ruins que você viveu em algo positivo." 

Na série intitulada "The Me You Can't See" ("O eu que não podem ver"), que ele co-produziu com Oprah Winfrey e estreia nesta sexta-feira, 21,  Harry diz que tinha vergonha de pedir ajuda à família real.

“Achei que minha família me ajudaria, mas todas as demandas, os pedidos, os sinais encontraram um silêncio ou uma total indiferença”, explicou Harry sobre as dificuldades que ele e a esposa tiveram antes do nascimento do filho Archie.

A série conta com depoimentos de outras celebridades sobre questões relacionadas à saúde mental, como Glenn Close e Lady Gaga. Ela estreia para o público em meio à uma nova polêmica no Reino Unido sobre a morte da princesa Diana. A BBC reconheceu que adotou padrões antiéticos para uma famosa entrevista com a princesa em 1995. Tanto Harry quanto seu irmão William, segundo na linha de sucessão, criticaram o canal./ AFP e WASHINGTON POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.