Príncipe Harry se envolve em briga com fotógrafo

O príncipe Harry, filho do príncipe Charles e da falecida princesa Diana, foi atingido no rosto com uma máquina fotográfica em uma briga na frente de um clube noturno em Londres, na madrugada desta quinta-feira. De acordo com porta-vozes da família real britânica, o fotógrafo que carregava a câmera também teve um corte no lábio depois que o príncipe, o terceiro na linha sucessória ao trono britânico, empurrou o equipamento. O incidente ocorreu diante da casa noturna Pangaea, no centro de Londres, apenas uma semana depois que uma professora acusou o príncipe de trapacear em seu exame final de Educação Artística. "O príncipe Harry foi atingido no rosto por uma câmera quando os fotógrafos se concentraram em volta dele e ele estava entrando em um carro", disse um porta-voz. "Ao empurrar a câmera, parece que o fotógrafo sofreu um corte no lábio." Harry ´saiu do carro´ Um porta-voz da Scotland Yard disse que a polícia está ciente do incidente, mas não foi apresentada nenhuma queixa. O fotógrafo paparazzo envolvido - Chris Uncle, do jornal Evening Standard de Londres - disse que Harry "investiu contra ele deliberadamente". "O príncipe Harry parecia estar dentro do carro e nós todos ainda estávamos tirando fotos", disse Uncle, de 24 anos, ao jornal. "Então, de repente, ele saiu do carro e veio abruptamente na minha direção e eu ainda estava tirando fotos. Ele investiu contra mim e então empurrou deliberadamente a câmera na minha cara." O fotógrafo disse que guarda-costas da família real empurraram o príncipe. Uma outra testemunha disse que o príncipe estava xingando durante a confusão e escondeu a cabeça entre os joelhos depois, quando o veículo partiu rapidamente. Aprovação polêmica Em setembro, o príncipe passou em exames de admissão da academia militar de Sandhurst. A professora de Educação Artística, Sarah Forsyth, demitida de Eton, um dos colégios de maior prestígio na Grã-Bretanha, disse em um tribunal em que contesta sua demissão que ajudou o príncipe a obter uma das notas de que precisava para entrar em Sandhurst. Os advogados de Forsyth disseram que ela gravou secretamente uma conversa com o príncipe em que ela diz que ele admitiu que fez pouco em um trabalho do curso. Um porta-voz da família real qualificou as alegações como "incrivelmente injustas". Até pouco tempo, o príncipe Harry estava relativamente resguardado da atenção da imprensa. Um acordo informal entre representantes da família real e da mídia levou fotógrafos a deixarem Harry e seu irmão, o príncipe William, em paz para que completassem sua educação.

Agencia Estado,

21 Outubro 2004 | 10h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.