REUTERS/Ahmed Jadallah
REUTERS/Ahmed Jadallah

Príncipe herdeiro dos Emirados Árabes Unidos é encontrado morto em Londres

Khalid Al Qasimi, de 39 anos, era estilista e foi encontrado em apartamento na capital inglesa; há poucas semanas, ele tinha tido grande sucesso ao mostrar suas coleções em desfiles das Semanas da Moda de Londres e Paris

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de julho de 2019 | 09h03

LONDRES - O príncipe herdeiro dos Emirados Árabes Unidos e estilista de moda Khalid Al Qasimi, de 39 anos, foi encontrado morto em um apartamento de Londres, confirmou nesta quarta-feira a polícia britânica, que não deu detalhes sobre as circunstâncias da morte.

Khalid Al Qasimi, segundo filho do xeque Sultan bin Muhammad Al Qasimi, trabalhava como estilista e seu corpo foi achado na segunda-feira, quando os serviços de emergência foram chamados a um endereço no bairro de Knightsbridge. A Polícia Metropolitana de Londres investiga as causas da morte.

O estilista, também conhecido como xeque Khalid bin Sultan Al Qasimi, fundou sua marca de moda em 2016 - Qasimi - e tinha tido grande sucesso ao mostrar suas coleções em desfiles das Semanas da Moda de Londres e Paris.

O estilista tinha se mudado para o Reino Unido aos nove anos e após passar pelo Colégio Tonbridge, estudou na University College London. Depois, se formou em arquitetura e moda na Universidade Saint Martins.

Os Emirados Árabes Unidos decretaram três dias de luto e bandeiras a meio mastro pelo falecimento do príncipe. "O presidente, sua Alteza xeque Khalifa bin Zayed Al Nahyan, lamenta com pesar e tristeza, a morte do xeque Khalid bin Sultan Al Qasimi, o filho do governante de Sharjah, e reza a Allah o todo-poderoso para que sua alma descanse em paz e conceda paciência e consolo à família", afirmou o governo, em nota.

A morte de Khalid Al Qasimi ocorre 20 anos depois de seu irmão mais velho, xeque Mohammed bin Sultan bin Mohammed Al Qasimi, morrer de overdose, aos 24 anos, na casa da família em East Grinstead, também na Inglaterra. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.