Príncipe herdeiro torna-se rei Felipe VI da Espanha

O príncipe herdeiro da Espanha foi proclamado rei Felipe VI nesta quinta-feira, sucedendo seu pai, numa cerimônia discreta, tendo em vista que o país ainda enfrenta dificuldades econômicas e que está dividido sobre a permanência da monarquia.

Agência Estado

19 de junho de 2014 | 10h15

Usando um uniforme militar azul, o agora rei de 46 anos fez um juramento de lealdade à Constituição espanhola perante uma sessão conjunta do Parlamento. O novo chefe de Estado se dirigiu à liderança política do país e a seus súditos, que assistiram a cerimônia em cadeia nacional de televisão.

"Estou profundamente comovido com o começo do meu reinado", disse ele. "Estou completamente consciente da minha responsabilidade e tenho grande esperança no futuro da Espanha, uma nação secular com um importante papel na história da humanidade".

Sentada próxima a ele estava Letizia Ortiz, a jornalista plebeia e divorciada com quem ele se casou dez anos atrás e que se tornou a rainha da Espanha, além das duas filhas do casal, Leonor e Sofia.

A cerimônia de posse faz parte de um ritual notadamente carente de pompa na comparação com eventos semelhantes em muitos outros países. Nenhum integrante da realeza estrangeira ou chefe de Estado foi convidado. Os 2 mil convidados para a recepção no palácio real participaram de coquetel com tapas frias (petiscos) com vinho frisante. A coroa espanhola, do século 18, estava em exposição numa cadeira no Parlamento, não Felipe não a colocou na cabeça.

A Casa Real disse que a ocasião foi planejada "de acordo com os critérios de austeridade que os tempos recomendam".

O pai de Felipe, rei Juan Carlos I, irritou os espanhóis ao participar de um caro safári de caçada a elefantes na África, dois anos atrás, durante um difícil período da recessão espanhola. A crise econômica começa a melhorar, mas deixou as tensões sociais em alta, um sentimento separatista na rica região da Catalunha e demandas populares por uma reformulação geral em instituições marcadas pela corrupção.

Em seu discurso de 20 minutos, Felipe fez várias alusões à questão separatista. "Atualmente, há espaço na Espanha para todos", disse ele num determinado momento, antes de encerrar com agradecimentos em catalão, basco, galego e espanhol.

Líderes de todos os 17 governos regionais estavam presentes, incluindo os da Catalunha e do País Basco, onde durante décadas separatistas armados realizaram ataques, encerrados apenas cinco anos atrás. Mas o presidente catalão, Artur Mas, e seu homólogo basco, Iñigo Urkullu, não aplaudiram o novo rei.

Juan Carlos, de 76 anos, que está doente e já passou por várias cirurgias, anunciou em 2 de junho que abdicaria para permitir que sangue novo governasse o país.

O Parlamento adotou rapidamente uma legislação para permitir a transmissão do reinado. Caminhando com dificuldade com a ajuda de uma bengala, Juan Carlos assinou a lei na noite de quarta-feira, tornando sua renúncia oficial à meia-noite. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
ESPANHAREICOROAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.