REUTERS/Paul Edwards
REUTERS/Paul Edwards

Príncipe Philip será submetido à cirurgia de quadril nesta quarta-feira

Marido da rainha Elizabeth II está internado para operação “já planejada”, informou porta-voz da família real

O Estado de S.Paulo

04 Abril 2018 | 05h00

LONDRES – O príncipe Philip, duque de Edimburgo e marido da rainha Elizabeth II, passará por uma “cirurgia de quadril já planejada" nesta quarta-feira, 4, informou um porta-voz do Palácio de Buckingham em comunicado. O monarca de 96 anos está internado desde terça-feira no hospital King Edward VII, em Londres.

 

"Sua Alteza Real o Duque de Edimburgo foi internado na tarde dessa terça-feira no Hospital Edward VII, em Londres, para se submeter a uma operação planejada no quadril, que será realizada nesta quarta-feira", detalhou o breve comunicado.

Em nota, o porta-voz oficial acrescentou que serão divulgadas mais informações sobre o estado de saúde do duque "quando for apropriado".

O mal-estar que leva o príncipe Philip, de 96 anos, à cirurgia foi o motivo para a ausência do monarca na missa da Páscoa, celebrada no último domingo na capela do Castelo de Windsor.

O príncipe também não compareceu a outra cerimônia realizada na última quinta-feira na catedral de Leicester, na qual sua presença era esperada, devido ao problema no quadril, informou a emissora britânica "BBC".

O marido de Elizabeth II se retirou da vida pública no ano passado, embora ocasionalmente acompanhe a soberana, de 91 anos, em determinados compromissos. À época, a família real informou que retirada oficial do duque de Edimburgo não estava relacionada a nenhum problema de saúde.

Pouco antes de anunciar sua aposentadoria, o príncipe Philip teve que ser internado no mesmo hospital de Londres como "medida de precaução", após ter sofrido uma infecção derivada de uma condição médica já existente, conforme explicou na ocasião seu porta-voz.

Em dezembro de 2011, Philip foi submetido a uma angioplastia para desbloquear uma artéria coronária. //EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.