AP Photo/Rajanish Kakade
AP Photo/Rajanish Kakade

Príncipe William e Kate brincam com meninos de rua na Índia

Na terceira etapa de sua viagem ao país, o casal real visitou as estreitas ruas da parte velha de Nova Délhi para ir à Fundação Salaam Baalak, uma casa de amparo para meninos abandonados

O Estado de S. Paulo

12 Abril 2016 | 20h12

NOVA DÉLHI - Os duques de Cambridge, o príncipe William e a princesa Kate, participaram nesta terça-feira, 12, de uma série atividades com meninos de rua em Nova Délhi, além de conhecer o trabalho de ativistas em prol dos direitos da mulher, antes de almoçarem com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

Na terceira etapa de sua viagem ao país, o casal real visitou as estreitas ruas da parte velha de Nova Délhi para ir à Fundação Salaam Baalak, uma casa de amparo para meninos abandonados.

William e sua mulher cumprimentaram as crianças falando "namasté", saudação hindu, e um gesto de boas-vindas com as palmas das mãos. Depois, se sentaram ao lado delas para jogar Carrom, um jogo de tabuleiro tradicional no sudeste da Ásia, e também para fazer desenhos no chão.

Uma das crianças recebeu a duquesa de Cambrigde com flores, enquanto as outras mostravam desenhos de boas-vindas, um deles com as bandeiras da Índia e do Reino Unido juntas.

Mais tarde, William e Kate participaram de uma reunião com ativistas de uma organização de mulheres que lutam contra os ataques, a violência doméstica e outros problemas sociais do país.

Depois do encontro, o casal real foi ao Hyderabad House, o palácio de recepções no coração de Nova Délhi construído ainda na época que o país era uma colônia britânica, para almoçar com Modi.

Após a reunião com o primeiro-ministro, William e Kate partiram para Assam, no extremo nordeste da Índia, onde amanhã farão um safari no Parque Nacional Kaziranga, a maior reserva mundial de rinocerontes de um só chifre. 

Amanhã, eles viajam ao Butão, para retornar no sábado à Índia antes de concluir a viagem pela Ásia. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.