Príncipe William lamenta morte de amiga no Iraque

O príncipe William segundo na linha de sucessão ao trono britânico, disse estar "muito triste" com a morte, esta semana, de uma amiga que servia no Iraque, segundo informações da imprensa do Reino Unido neste sábado, 7.William expressou seu pesar pela morte da tenente Joanna Dyer, de 24 anos, que morreu junto com outros três soldados britânicos na quinta-feira, quando o veículo blindado em que patrulhavam Basra (sul) foi atacado por uma bomba."O príncipe William está muito triste com a trágica notícia da morte de Joanna Dyer", afirmou em comunicado a Clarence House, residência oficial em Londres do príncipe Charles, herdeiro da Coroa e pai do príncipe.A menina era uma "amiga íntima" de William, de 24 anos, que "agora pensa em sua família e amigos" e lhes dedica suas "orações", acrescentou a nota.Em dezembro, Dyer se formou junto ao príncipe como tenente em Sandhurst, a academia militar mais prestigiosa do Reino Unido, em cerimônia assistida pela Rainha Elizabeth II, avó de William.A morte da militar ocorreu no momento em que o irmão mais novo de William, o príncipe Harry, subtenente do Exército britânico de 22 anos, prepara-se para ser enviado nos próximos meses ao Iraque.Harry servirá nas fileiras do batalhão Blues and Royals da Guarda Real, o regimento mais importante e antigo do Exército britânico.Até o momento, 140 militares das Forças Armadas britânicas morreram no Iraque, 109 deles por fogo inimigo, desde o começo da invasão liderada pelos Estados Unidos no início de março de 2003.O Reino Unido tem 7.100 militares no Iraque, a maioria na província de Basra. Este contingente vai ser reduzido a menos de5 mil soldados até o fim do ano, segundo anúncio feito em fevereiro pelo primeiro-ministro Tony Blair

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.