Steve Parsons/Pool/AFP
Steve Parsons/Pool/AFP

Príncipe William visita cientistas de Oxford que trabalham em vacina para covid-19

A vacina, originalmente conhecida como ChAdOx1 nCoV-19, já está sendo testada em humanos, incluindo voluntários brasileiros

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2020 | 22h45

O príncipe William visitou nesta quarta-feira, 24, cientistas de Oxford que estão trabalhando para desenvolver uma vacina contra a covid-19 e participantes do estudo que ajudam a determinar se ela funciona ou não.

A vacina, originalmente conhecida como ChAdOx1 nCoV-19, foi desenvolvida por cientistas da Universidade de Oxford, que agora trabalham com a AstraZeneca no desenvolvimento e produção.

A vacina já está sendo testada em humanos, incluindo voluntários brasileiros. Testes preliminares em porcos e macacos mostraram alguns sinais encorajadores da vacina experimental, também conhecida como AZD1222, para proteger da covid-19, doença causada pelo coronavírus.

William, neto da rainha Elizabeth e segundo na linha sucessória britânica, reuniu-se com pesquisadores que trabalham para o Oxford Vaccine, incluindo a desenvolvedora da vacina, Sarah Gilbert, e o líder da equipe de testes clínicos, Andrew Pollard.

Ele também conversou com o presidente-executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot, e representantes da coalizão para inovações em preparação para epidemias (Cepi) e da aliança internacional de vacinas Gavi. A AstraZeneca assinou acordos com Reino Unido, EUA e países europeus para fornecer a vacina.

Soriot disse que os resultados clínicos dos testes são esperados para agosto ou setembro, com possíveis entregas a partir de outubro, acrescentando que ele espera que a vacina, se funcionar, proteja contra o coronavírus por cerca de um ano. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.