Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Prisão de australiano detido em Guantánamo será limitada

Uma Corte judicial militar americana condenou nesta sexta-feira, 30, o cidadão australiano David Hicks a sete anos de prissão por providenciar material para apoiar o terrorismo. A sentença foi expedida depois que o homem, detido em Guantánamo, assumiu todas as acusações na última segunda-feira.Hicks, que já está preso há cinco anos em Cuba, assinou um documento que limita sua sentença a sete anos por apoiar a Al-Qaeda, segundo a declaração do juiz militar Ralph Kohlmann nesta sexta-feira. A limitação da sentença é parte do acordo pelo qual ele se declarou culpado. Hicks é o primeiro "combatente inimigo" julgado na base americana de Guantánamo.Hicks, de 31 anos, foi capturado pelas tropas americanas que invadiram o Afeganistão e está em Guantánamo desde 2002.O juiz Kohlmann, da Marinha, anunciou alguns termos do acordo durante uma audiência na qual aceitou a declaração de culpa de Hicks.Segundo um acordo entre os governos da Austrália e dos Estados Unidos, Hicks cumprirá sua sentença em uma prisão australiana. Mas não ficou claro se o período de reclusão que já passou em Guantánamo será descontado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.