Prisão de fuzileiros pelo Irã gera expectativa no Reino Unido

A prisão na manhã desta sexta-feira, 23, de 15 integrantes da marinha britânica, a Royal Navy, por forças iranianas no Golfo Pérsico, está gerando uma grande expectativa no Reino Unido. O embaixador do Irã em Londres foi convocado para um reunião na sede do ministério das Relações Exteriores britânico. O governo britânico exige a imediata libertação dos marinheiros do fragata HSM Cornwall, que, segundo ele, realizavam uma "operação de rotina" em águas iraquianas.O comandante da embarcação militar, Commodore Nick Lambert, disse à emissora BBC esperar que o incidente tenha sido causado por "um simples engano" em relação às águas territoriais, cujas fronteiras entre o Irã e o Iraque são alvo de diferentes interpretações. "Não tenho absolutamente nenhuma dúvida que eles (os marinheiros britânicos) estavam em águas territoriais iraquianas", afirmou Lambert. "Igualmente, os iranianos podem alegar que eles estavam em águas iranianas."Os canais de televisão britânicos dedicados a notícias, como os da BBC e Sky News, fazem uma cobertura praticamente ininterrupta sobre o incidente. Segundo analistas, a grande questão neste momento é saber se a atitude iraniana foi deliberada ou apenas resultado de um mal-entendido. Prepondera até o momento a aposta de que o problema será resolvido em breve, com a libertação dos marinheiros, embora as autoridades iranianas não tenham se manifestado oficialmente sobre o assunto.O incidente cria uma situação de tensão em torno do Irã, que já está sob pressão internacional e até sob ameaça de ataque dos Estados Unidos, enquanto a ONU discute um projeto de resolução que amplia as sanções econômicas ao país, por conta de sua recusa em suspender o enriquecimento de urânio. Entre as medidas previstas está o congelamento dos ativos financeiros iranianos no exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.