Prisão de Guantánamo é inaceitável, diz procurador britânico

A prisão de Guantánamo desonra a tradição americana de liberdade e justiça e deveria ser fechada, disse nesta quarta-feira o procurador-geral da Inglaterra, Lord Goldsmith, chamando o local de "inaceitável". Foi a mais forte crítica sobre a prisão já proferida por uma autoridade britânica."A existência da (prisão na) Baía de Guantánamo é inaceitável", disse em um pronunciamento. "Já é tempo de que seja fechada. A histórica tradição dos EUA de justiça e liberdade exige a remoção deste símbolo."As críticas de Goldsmith foram bem mais duras do que as do premier britânico, Tony Blair, em todas as vezes que este se pronunciou sobre Guantánamo, onde somente dez dos 490 detidos foram acusados formalmente de crimes. O premier costuma dizer que a prisão é uma anomalia e que eventualmente terá que ser fechada, mas nunca foi além disso. Em suas críticas à prisão, Blair sempre pondera que os Estados Unidos enfrentam uma ameaça terrorista e que muitos dos prisioneiros foram capturados em campos de batalha no Afeganistão.Após as declarações do procurador-geral, o porta-voz do primeiro-ministro disse que se trata de um "dilema", já que oficiais norte-americanos acreditam que muitos dos detidos em Guantánamo são perigosos e não poderiam ser libertados.Em Washington, o porta-voz do Departamento de Estado, Sean McCormack, disse que "no futuro não haveria nada melhor do que fechar a prisão", mas que existem pessoas perigosas detidas ali e os EUA não planejam libertar detentos prematuramente.O procurador-geral se reuniu com autoridades dos EUA para discutir a situação de nove cidadãos britânicos que estavam detidos em Guantánamo e avisou que a Inglaterra não está disposta a aceitar as propostas norte-americanas de um tribunal militar. Eles já foram liberados e retornaram para casa, mas o procurador ainda acompanha a situação de um britânico nascido no Iraque que ainda permanece detido no local."Existem certos princípios que não podem ser deixados de lado. Julgamento justo é um deles. Os réus devem ter garantias suficientes de defesa, de acordo com os padrões internacionais", disse Goldsmith.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.