AP
AP

Prisão de Ledezma é sinal do 'desespero' de Maduro, dizem opositores em Miami

Organização que vive nos EUA afirma estar preocupada com o que pode acontecer com a também opositora María Corina Machado

O Estado de S. Paulo

20 de fevereiro de 2015 | 12h14

MIAMI - A Organização de Venezuelanos Perseguidos Políticos no Exílio (Veppex) de Miami, nos EUA, afirmou nesta sexta-feira, 20, que a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, é uma demonstração de "desespero" do presidente Nicolás Maduro.

"A selvagem detenção de Ledezma demonstra a loucura e desespero do regime de Maduro", afirmou José Antonio Colina, em um comunicado.

O prefeito de Caracas, um dos principais opositores ao governo venezuelano, foi preso por funcionários do Serviço Bolivariano de Informação (Sebin) na sede do seu partido político. Segundo a Veppex, a detenção "arbitrária" é uma continuação das prisões contra líderes políticos e estudantis da oposição.

A Veppex também disse estar preocupada com o que pode acontecer com a deputada opositora María Corina Machado, citada pelo governo venezuelano como integrante do grupo que tenta dar um golpe em Maduro. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.