Prisão perpétua para atirador que assustou Washington

John Lee "Boy" Malvo, um franco-atirador americano que cumpre pena de prisão perpétua por sua ligação com uma série de assassinatos na área de Washington em 2002, foi novamente condenado a permanecer a vida na cadeia, desta vez por seis homicídios cometidos no estado de Maryland. Malvo, de 21 anos, que junto com seu mentor John Allen Muhammad deixou os habitantes da capital dos EUA sob tensão durante três semanas em outubro de 2002, foi julgado no condado de Montgomery (Maryland) por sua suposta participação nessas seis mortes. Previamente o jovem já tinha recebido a mesma sentença - de prisão perpétua - na Virgínia por uma série de acusações vinculadas aos tiroteios que ele e Muhammad realizaram nesse estado, em Maryland e na cidade de Washington, nos quais dez pessoas morreram e outras três ficaram feridas. Em outubro, Malvo declarou-se culpado de homicídio no condado de Montgomery. Em 2005, Muhammad foi condenado à morte na Virgínia pelos assassinatos de outubro de 2002.

Agencia Estado,

09 Novembro 2006 | 04h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.