AFP PHOTO / NOTICIAS ARGENTINAS / Ricardo SANTELLAN
AFP PHOTO / NOTICIAS ARGENTINAS / Ricardo SANTELLAN

Prisão perpétua para jovem de 19 anos que matou namorado na Argentina

Estudante de Direito matou namorado a tiros; trata-se do primeiro caso desse tipo de sentença a uma mulher tão jovem

O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 20h45

A estudante de Direito de 19 anos Nahir Galarza foi condenada nesta terça-feira, 3, à prisão perpétua por um tribunal que a considerou culpada de assassinar com dois tiros o seu namorado de 20 anos na cidade argentina de Gualeguaychú. 

Nahir mantinha um relacionamento tempestuoso com o estudante Fernando Pastorizzo. É o primeiro caso de sentença à prisão perpétua para uma mulher tão jovem, de acordo com a imprensa local. 

O juiz Mauricio Derudi, presidente do tribunal, disse, ao ler a sentença, que se tratou de um "homicídio qualificado por ser de uma pessoa com quem manteve relação amorosa".

O crime ocorreu na madrugada de 29 de dezembro de 2017. Nahir disse no julgamento que os disparos foram acidentais durante uma discussão. A arma era de 9 milímetros do pai da menina, um policial da cidade, localizada a 230 quilômetros ao norte de Buenos Aires.

O primeiro disparo ocorreu quando os dois estavam em uma motocicleta dirigida por Pastorizzo. O segundo foi com o rapaz no chão, segundo as perícias judiciais.

"Eu conhecia o meu filho. Embora não se conheça os detalhes de um relacionamento, mais ainda de adolescentes, sabia que ele não era violento", afirmou Silvia Mantegazza, mãe de Pastorizzo. 

A estudante declarou ao tribunal que o jovem tinha feito ameaças e a espancava. Testemunhas durante o julgamento afirmaram que a menina era violenta. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.