Prisioneiro dos EUA em Guantánamo declara-se culpado

Um cidadão canadense preso na base da Marinha dos Estados Unidos em Guantánamo, Cuba, declarou-se culpado hoje de cinco acusações relacionadas a terrorismo. Com a admissão, Omar Khadr, de 24 anos, livra-se da prisão perpétua e não se tornará o primeiro detento de Guantánamo a ser julgado pelo governo Barack Obama.

AE-AP, Agência Estado

25 de outubro de 2010 | 19h56

O canadense tinha 15 quando foi capturado no Afeganistão, em 2002. A Organização das Nações Unidas (ONU) o considera uma "criança soldado". Ele admitiu ao juiz militar ter matado um soldado americano com uma granada. Um painel decidirá agora sua pena.

Tudo o que sabemos sobre:
GuantánamoprisãoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.