Prisioneiros ajudarão a encontrar armas, diz Rumsfeld

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, disse neste domingo que as forças de coalizão irão depender da cooperação de funcionários iraquianos para ter informação sobre as armas proibidas do deposto regime de Saddam Hussein.Segundo Rumsfeld, há poucas possibilidades de que as armas sejam encontrados de maneira independente ou que funcionários do alto escalão proporcionem informação sobre elas."Nunca pensamos que simplesmente tropeçaríamos com armas de destruição em massa", disse Rumsfeld em um entrevista à rede de televisão Fox, ecoando comentários feitos pelo presidente George W. Bush, no sábado. "Não me sinto frustrado absolutamente", disse Rumsfeld à CNN.O secretário indicou que não sabe se Saddam e seus filhos continuam com vida. "Seja qual for seu destino", disse, já não estão no poder e não ameaçam os iraquianos. Se estão vivos "se encontram num túnel em algum lugar, ou estão escondidos em um porão´´.Rumsfeld disse que Saddam escondeu as armas de destruição em massa dos inspetores das Nações Unidas. ´´Vamos encontrar o que buscamos como uma conseqüência das conversas com pessoas, acredito, não simplesmente indo a algum lugar esperando encontrá-las´´, afirmou.Até agora, altos funcionários iraquiano, como Tariq Aziz, um dos mais próximos a Saddam, não tem cooperado nem dado informação sobre as armas, disseram fontes norte-americanos. ´´Teremos que encontrar pessoas não do maior nível, que são vulneráveis, obviamente, quando estão sob custódia, mas sim pessoas de um nível menor que estiveram envolvidas de uma maneira ou outra´´Ao ser perguntado sobre se algum oficial iraquiano preso estava cooperando, Rumsfeld disse: "Não temos algo substancioso para expressar ainda".As armas de destruição em massa se transformaram na principal justificativa para a invasão do Iraque. Inicialmente, uma resolução da ONU estabeleceu que inspetores de armas entrariam no Iraque para encontrar e destruir mísseis e ogivas químicas, biológicas e nucleares.Em uma apresentação na ONU, o secretário de Estado, Colin Powell apresentou relatórios e gráficos como "evidências" que Saddam possuía as armas, proibidas pela Nações Unidas desde a primeira guerra no golfo.O prazo dos inspetores terminou sem nenhuma pista sobre as armas que Saddam teria escondido. Durante toda a fase de inspeção, altos funcionários da Casa Branca e o presidente Bush se mostraram impacientes diante da falta de resultados que legitimariam a invasão no Conselho de Segurança.Há 26 dias os EUA ocupam o Iraque, e até agora não foram achadas as armas químicas que foram a justificativa para a guerra.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.