Prisioneiros voltam a se rebelar no Afeganistão

Prisioneiros estrangeiros confinados no forte Qala-i-Jhangi continuaram lutando hoje, apesar de a Aliança do Norte e oficiais americanos afirmarem que a rebelião iniciada ontem havia sido controlada. Ontem, centenas desses prisioneiros, que são seguidores do terrorista saudita Osama bin Laden, foram mortos durante ataques da Aliança e bombardeios americanos, usados para debelar o motim.Massood, o combatente que testemunhou o confronto, disse que os prisioneiros ficaram sem munição, mas cerca de 20 ou 30 deles tinham granadas que estavam sendo disparadas contra tropas da Aliança do Norte enviadas para conter a rebelião.O número de mortos entre os prisioneiros não havia sido determinado, mas ao que tudo indica é alto. A Aliança do Norte disse que a maioria dos prisioneiros foi morta e estima que havia entre 300 e 800 pessoas dentro do forte. "Todos eles foram mortos e muito poucos foram presos", afirmou o porta-voz da Aliança Zaher Wahadat.Massood, a testemunha do combate, duvida que algum prisioneiro tenha conseguido escapar de Qala-i-Jhangi com vida. "Eles nunca conseguirão escapar", garantiu. Segundo o combatente, o general usbeque Abdul Rashid Dostum tem certeza que conseguirá controlar a rebelião.O representante diplomático da Aliança do Norte no Tajiquistão, Abdul Valud, disse hoje que a situação estava "sob controle". O Pentágono emitiu um comunicado afirmando que a rebelião havia sido controlada.Mas Simon Brooks um funcionário da Cruz Vermelha também afirmou que soldados da Aliança e os prisioneiros continuavam a se enfrentar. Brooks afirma ter visto tropas em combate. As explosões mais fortes puderam ser ouvidas em Mazar-i-Sharif, que fica a apenas 15 quilômetros da prisão. "A situação não está controlada", afirmou Brooks.Os combatentes estrangeiros aliados do Taleban são na maioria paquistaneses, chechenos e de países vizinhos da Ásia Central. Mas há também relatos da presença de chineses da minoria muçulmana uigur, indonésios e filipinos. Boa parte deles passou pelos campos de treinamento da organização terrorista Al-Qaeda, comandada por Osama bin Laden. Os estrangeiros foram levados a Qala-i-Jhanghi no sábado, depois de se renderem às forças do comandante usbeque Abdul Rashid Dostum. Esse forte é o QG das tropas de Dostum.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.