Problema de freio provocou acidente que desencadeou distúrbios em Cabul

O acidente de trânsito que desencadeou os distúrbios de segunda-feira em Cabul foi causado por um problema nos freios de um veículo militar, informou nesta terça-feira o Exército dos Estados Unidos. A falha fez com que o soldado americano que conduzia o veículo perdesse o controle, provocando um engavetamento.O coronel Tom Collins, porta-voz do Exército dos EUA, disse nesta terça-feira que os freios do caminhão militar que provocou o engavetamento "aparentemente ficaram superaquecidos e falharam quando o veículo descia uma ladeira".O motorista, "com bastante experiência na condução desse tipo de veículo - um caminhão pesado - acionou os freios de emergência e fez de tudo para não atingir pedestres", prosseguiu Collins.Na tentativa de parar, o motorista jogou o caminhão contra carros estacionados. A tentativa não surtiu efeito, e o caminhão atingiu os carros em um movimentado entroncamento na zona norte de Cabul, disse Collins.Logo depois do acidente, afegãos revoltados apedrejaram os veículos americanos envolvidos no episódio. Em seguida foram para o centro de Cabul, onde realizaram saques, incêndios e depredação. O número de mortos nos distúrbios de segunda-feira foi elevado para 12 e o de feridos para 138, segundo dados divulgados por três hospitais de Cabul. Acredita-se que cinco pessoas tenham morrido no engavetamento, mas não está claro se as mortes no acidente estavam incluídas no saldo de vítimas dos distúrbios."Nós manifestamos nosso profundo pesar às famílias das vítimas desse infeliz acidente de trânsito", disse Collins.Piores distúrbiosOs distúrbios provocados pelo acidente foram os piores registrados em Cabul desde a queda do regime liderado pela milícia fundamentalista islâmica Taleban, no fim de 2001.O secretário-geral da ONU, Kofi Annan, disse que a violência é um sintoma dos "graves problemas" do Afeganistão. Annan conversou com o presidente Hamid Karzai que assegurou que a situação está sob controle. Nesta terça-feira, tropas afegãs e estrangeiras assumiram posições ao redor da cidade, de 4 milhões de habitantes. Os lojistas abriram suas portas e a população de Cabul parecia seguir normalmente com seu cotidiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.