Procissão budista reúne 1 milhão no Camboja

O rei Norodom Sihanouk liderou uma procissão de aproximadamente um milhão de cambojanos para transportar aqueles que, segundo a tradição, seriam os restos mortais de Buda, na maior cerimônia religiosa realizada no Camboja em décadas. Uma multidão de devotos e monges budistas acompanharam o rei num extenso e colorido comboio que levava os restos mortais - que seriam as cinzas, os ossos e os dentes de Buda - de seu antigo abrigo, em Phnom Penh, para a cidade de Oudong, 45 quilômetros ao norte. Os restos mortais, depositados numa urna dourada e fechados numa redoma de vidro, foram levados no alto de um caminhão decorado como o lendário pássaro Garuda. Os restos foram colocados pelo rei num novo abrigo religioso, contruído no topo de uma colina. Centenas de milhares de cambojanos provenientes de diversas províncias acamparam nos arredores da colina na noite de ontem, para aguardar a procissão. Os monges entoavam cânticos sagrados e os fiéis levavam incensos e flores de lótus. "Estou envelhecendo, mas posso morrer com total satisfação depois de participar desta cerimônia", dizia Som Soma, de 65 anos, um professor aposentado. A polícia calculou a multidão em aproximadamente 1 milhão de pessoas. Acredita-se que esta seja a maior manifestação religiosa das últimas décadas no país. A estrada entre Phnom Penh e Oudong estava tão cheia de gente que algumas pessoas tiveram de abandonar a rota a caminhar pelos arrozais. Cerca de 95% dos cambojanos seguem o budismo. Oudong foi a capital do Camboja entre os séculos 17 e 19.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.