Procurador-geral do Egito retira pedido de demissão

O procurador-geral do Egito, Talaat Abdullah, retirou nesta quinta-feira seu pedido de demissão, alguns dias após ter manifestado que se desligaria do cargo. Talaat foi nomeado para o cargo recentemente pelo presidente Mohammed Morsi, mas sua nomeação para procurador-geral provocou vários protestos de procuradores, que chegaram a reclamar em frente ao escritório. Talaat disse que pediu demissão "sob pressão" e que hoje retirava o pedido.

AE, Agência Estado

20 de dezembro de 2012 | 15h37

Os procuradores acusam Talaat de não libertar cerca de 130 manifestantes contrários a Morsi que foram detidos neste mês. O judiciário egípcio está investigando os confrontos de 5 de dezembro entre integrantes da Irmandade Muçulmana, grupo de Morsi, e a oposição secular. Em um discurso, Morsi disse que os detidos confessaram que foram pagos para atacar a Irmandade Muçulmana, uma acusação que o judiciário rechaça.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.