Procurador-geral pede união dos espanhóis contra a ETA

O procurador-geral espanhol, Cándido Conde-Pumpido, defendeu nesta sexta-feira em Santo Domingo que as instituições democráticas espanholas se unam para deter "definitivamente" o terrorismo da ETA."Acho que a união entre o sistema político e as instituições democráticas da Espanha é a melhor resposta a este novo e indigno ataque da ETA", disse Conde-Pumpido à Efe.O procurador-geral chamou de "traição" o atentado de sábado, no estacionamento do aeroporto de Barajas, em Madri, que causou a morte de um equatoriano, o desaparecimento de outro e mais de 20 feridos."A ETA acabou com a esperança dos espanhóis de acabar com uma era de terror", acrescentou Conde-Pumpido, para quem a sociedade "responderá ao atentado com a lei e a justiça".O procurador-geral afirmou que a Espanha aposta na esperança, e que os culpados pelo atentado pagarão "mais cedo que imaginam" por sua ação "traiçoeira". "Serão submetidos à prisão, como manda a lei", prometeu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.