Procuradora-geral britânica é multada por empregar imigrante ilegal

Patricia Scotland criou legislação que tornou ilegal empregar ilegais e sofre pressão para renunciar.

BBC Brasil, BBC

22 de setembro de 2009 | 18h48

A Procuradora-Geral do governo britânico, baronesa Patricia Scotland, recebeu uma multa equivalente a US$ 8 mil por ter contratado uma governante que não tinha permissão para trabalhar na Grã-Bretanha.

A UK Border Agency, agência que controla as fronteiras do país, afirmou que a procuradora tomou providências para conferir o passaporte de Loloahi Tapui, nacional de Tonga, para se certificar de que ela tinha direito de trabalhar.

A baronesa falhou, no entanto, ao não guardar uma cópia dos documentos, como exige a lei - explicou a agência.

Partidos de oposição dizem que a posição da Procuradora-Geral é insustentável e pedem sua renúncia, mas o governo argumenta que a baronesa cometeu um "engano".

Legislação

A baronesa Scotland, principal assessora jurídica do governo, responsável por supervisionar todos os processos criminosos na Inglaterra e País de Gales, ajudou a criar a legislação sobre o emprego de imigrantes ilegais quando era ministra do Interior.

Segundo a lei, mesmo aqueles que empregam trabalhadores ilegais sem saber de sua situação estão sujeitos a multas equivalentes a até US$ 16 mil.

Em uma declaração, a Procuradora-Geral admitiu que cometeu uma "infração técnica" e pediu desculpas pelo erro.

"Recebi uma multa administrativa. Não se trata de um ato criminoso, mas de ter falhado em fazer uma fotocópia de um documento, algo que eu admito estar errado e por isso peço desculpas", afirmou a baronesa em entrevista à BBC.

"Esta mulher trabalhava na região e era casada com um advogado. Eu confiei nos documentos que vi", afirmou.

"Eu acreditei que a mulher que empreguei era honesta, digna de confiança e com direito a estar aqui".

O correspondente da BBC para assuntos britânicos Daniel Sanford analisou a lista de todos as multas já aplicadas depois da adoção da nova lei sobre o emprego de imigrantes ilegais.

Segundo ele, a baronesa Scotland foi a única pessoa física - e não jurídica - entre as mais de 1,1 mil multas já aplicadas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.