REUTERS/Francois Lenoir
REUTERS/Francois Lenoir

Após ameaças, procuradores afirmam que não encontraram bombas em dois voos da Bélgica

Autoridades investigam possibilidade de ato terrorista estar sendo realizado; segundo imprensa local, ameaça foi feita pelo Twitter

O Estado de S.Paulo

11 Agosto 2016 | 08h57

BRUXELAS - Procuradores belgas disseram nesta quinta-feira, 11, que não encontraram bombas em duas aeronaves da SAS após ameaças feitas contra um avião da companhia na noite de quarta-feira. Eles acrescentaram que uma investigação sobre um possível ato terrorista ainda está sendo realizada.

A inspeção ocorreu após a procuradoria receber informações sobre uma ameaça à segurança de um voo da empresa escandinava SAS. O procurador se negou a dizer como ela foi feita, mas a imprensa local relatou que ela aconteceu pelo Twitter.

"Foram tomadas medidas de segurança, mas tudo voltou à normalidade. O alerta de bomba terminou", destacou uma fonte do aeroporto, que não quis ser identificada.

Duas aeronaves da SAS que saíram de Oslo e Estocolmo foram inspecionadas em buscas por explosivos após pousarem no aeroporto nacional de Bruxelas, informou o procurador em comunicado nesta quinta-feira. "Esta inspeção foi negativa", informou o comunicado. "A investigação sobre possível ameaça continua."

A emissora belga VRT havia reportado mais cedo sobre um alerta de bomba para dois voos com destino a Bruxelas, o qual, segundo as autoridades belgas, não era sério.

A Bélgica está em alerta após militantes islâmicos matarem 23 pessoas em ataques suicidas em março. Muitos dos agressores que agiram nos atentados de novembro em Paris, deixando 130 mortos, eram residentes da Bélgica. / Reuters e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.