AFP PHOTO / Josep LAGO
AFP PHOTO / Josep LAGO

Procuradoria espanhola denunciará líder catalão por 'rebelião'

A acusação, que ainda não foi confirmada, poderá levar Puigdemont a responder a processo no qual ele pode ser condenado a 30 anos de prisão  

O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2017 | 15h37

MADRI - A Procuradoria-geral espanhola apresentará na próxima semana uma acusação contra o governador da Catalunha, Carles Puigdemont, por delito de rebelião, passível de 30 anos de prisão, informou um porta-voz à agência France-Presse.

+Senado espanhol aprova intervenção na Catalunha minutos após região declarar independência

"Essa acusação talvez possa ser ampliada ao governo catalão e à mesa do Parlamento regional", afirmou ainda a fonte. A informação ainda não foi confirmada oficialmente. 

O Parlamento regional catalão votou nesta sexta-feira, 27, uma moção para dar início ao “processo constituinte” e se separar da Espanha. Minutos depois, o Senado espanhol aprovou a aplicação do Artigo 155, que autoriza a intervenção no governo da Catalunha e a destituição de seus líderes separatistas.

A moção independentista foi apresentada por parlamentares do partido Junts Pel Sí e da legenda Candidatura da Unidade Popular (CUP) que, juntos, têm maioria na assembleia regional catalã. 

Os grupos independentistas argumentam que assim pretendem "assumir o mandato do povo expressado no plebiscito" de independência realizado no dia 1.º, declarado ilegal por Madri. Cerca de 90% dos eleitores que foram às urnas votaram a favor da secessão. O índice de participação foi de 43%.

Na quinta-feira, diversos políticos tentaram mediar para que Puigdemont anunciasse a convocação de eleições e evitasse a efetividade de tais medidas, mas não tiveram sucesso. / REUTERS, AFP e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.