Prodi elege os novos presidentes da Câmara e do Senado da Itália

O novo primeiro primeiro-ministro italiano Romano Prodi conseguiu eleger neste sábado os presidentes da Câmara e do Senado. O líder da Refundação Comunista, Fausto Bertinotti, obteve maioria absoluta na eleição para a Câmara dos Deputados. No Senado, foram precisos quatro votações para eleger o candidato da aliança de centro-esquerda liderada, Franco Marini, por 165 dos 322 votos.A eleição de Bertinotti, candidato único, era considerada certa por todos os partidos políticos, uma vez que nesta votação bastava obter o apoio de metade mais um dos deputados, e a aliança União, de Prodi, tem 347 das 630 cadeiras.O dirigente comunista obteve 337 votos, enquanto o presidente de Democratas de Esquerda (DS), Massimo D´Alema, conseguiu cem, apesar de não ser candidato, e outros deputados, entre eles o primeiro-ministro, Silvio Berlusconi, obtiveram alguns votos isolados.Aos 66 anos e secretário-geral de Refundação Comunista desde 1994, Bertinotti concorreu às eleições gerais de 9 e 10 de abril com a coalizão de Prodi, União, integrada por uma variada gama de partidos que vão da esquerda ao centro moderado.SenadoNo Senado, Marini, de 73 anos, superou sete vezes o primeiro-ministro Giulio Andreotti, de 87 anos, o qual é apoiado pela centro-direita. O novo presidente do Senado pertencente à formação centrista A Margarida, obteve nove votos a mais que Andreotti. Houve apenas um voto em branco e, ao contrário das votações anteriores, não houve nenhum voto nulo.A proclamação oficial de Marini foi seguida por aplausos dos membros da centro-esquerda, para os quais a eleição era chave para mostrar a união da aliança de Prodi no Parlamento, onde só tem duas cadeiras a mais que a centro-direita.Prodi se mostrou "muito, muito, muito contente" pelo triunfo de Marini e ressaltou que a centro-esquerda conquistou a Presidência das duas câmaras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.