Proemintente ativista político sunita é assassinado no Iraque

A polícia iraquiana informou nesta sexta-feira sobre o assassinato do presidente do comitê nacional de professores universitários,Issam al-Rawi. Al-Rawi, membro da Comissão de Ulemás sunitas iraquianos,autoridade máxima sunita do país, foi baleado na manhã desta sexta-feiraenquanto caminhava acompanhado de duas pessoas pelo bairroAl-Yarmouk, no oeste de Bagdá. Os assassinos fugiram de carro. Al-Rawi era considerado uma das principais personalidadespolíticas sunitas e um pensador islâmico moderado que se opunha aogoverno do xiita Nouri al-Maliki e à ocupação americana. A associação dos Ulemás é uma organização sunita a qual acredita-se que tenha ligações com a insurgência que se levanta contra as tropas americanas e seus aliados iraquianos. O grupo boicotou as eleições e se manteve fora do processo político.Um membro da Associação confirmou o assassinato de al-Rawi, que era geólogo. O professor estaria saindo de casa com seus dois seguranças para ir trabalhar na universidade de Bagdá. Os atiradores fecharam o carro de al-Rawi, o forçando a parar, e então o metralharam com armas automáticas, segundo o membro da Associação, que não quis se identificar, com medo de represálias.Um dos seguranças morreu e o outro ficou ferido. A Associação investiga o assassinato e irá emitir uma declaração em breve. Apesar de al-Rawi ter sido atacado provavelmente por causa de suas posições políticas, acadêmicos iraquianos têm sido cada vez mais vítimas dos extremistas religiosos e de outros grupos violentos. Aproximadamente 180 professores foram assassinados por extremistas religiosos e outros grupos violentos, ao menos 3.250 fugiram do Iraque, desde o aumento da violência sectária, em fevereiro, segundo o Ministério de Educação Superior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.