Professor condenado à morte recorre de sentença no Irã

O advogado de um professor sentenciado à morte por insulto ao Islã recorreu da sentença um dia antes do prazo final. Saleh Nikbakht, advogado do professor Hashem Aghajari, disse ter entrado com o recurso contra a vontade de seu cliente nesta segunda-feira, ao fim de um prazo de 20 dias para recorrer da sentença. "Meu cliente continua não querendo recorrer da sentença, mas, como advogado, tenho poder para agir desta forma, sem dar pretextos ao Poder Judiciário", disse Nikbakht durante entrevista coletiva. A sentença gerou semanas de protestos, alguns violentos, de estudantes contrários à decisão do conservador Poder Judiciário iraniano. O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, numa tentativa de conter a crise política gerada pelo caso, ordenou ao judiciário que reconsiderasse o veredicto. Tal decisão levou muitos a acreditarem que a sentença seria rapidamente revertida. Porém, o chefe do Poder Judiciário, aiatolá Mahmoud Hashemi Shahroudi, avisou que a corte "seguirá o fluxo normal de seus procedimentos para reconsiderar o veredicto. O "fluxo normal dos procedimentos" exige que um recurso seja apresentado para que a corte possa agir. A apelação apresentada hoje por Nikbakht autoriza o judiciário a rever o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.