Professor da USP teme aumento da xenofobia nos EUA

O professor Gilberto Dupas, coordenador do Grupo de Conjuntura Internacional da USP (Universidade de São Paulo), acredita que a tendência é de que os Estados Unidos tenham uma reação xenófoba, de aversão aos estrangeiros, depois do atentado desta terça-feira. Dupas afirmou que o mundo deverá assistir a um novo fechamento dos Estados Unidos, caso a tendência à xenofobia se comprove. Em apresentação na Fiesp, sobre assuntos de integração, o professor afirmou que o mundo inteiro sofrerá em função do atentado. Para ele, a economia norte-americana poderá demorar mais para se recuperar, haverá restrição de fronteiras e um grande surto isolacionista. Dupas ressaltou que suas afirmações tratam-se apenas de uma hipótese, já que é preciso esperar o próximo passo do governo norte-americano em relação aos atentados para se ter uma visão mais clara das conseqüências do atentado. O professor afirmou que os acontecimentos de hoje levantaram um grande número de questões. Uma delas é como olhar os novos desafios de segurança mundial, que agora superaram a ficção e exigem uma avaliação muito mais complicada, pois os ataques terroristas, na forma como foram feitos hoje, praticamente impedem a defesa. Dupas acredita também que é preciso olhar como ficará a relação entre Estados Unidos e México, depois que Washington decidiu fechar as fronteiras com o país vizinho, após o atentado. "Ainda existem apenas questões, mas nenhuma resposta", afirmou. Ele ressaltou, entretanto, que o pano de fundo dos atentados pode ser o agravamento das disparidades sociais que não foram tratadas pela globalização. "Uma coisa é certa, é o momento de se fazer uma revisão do mundo globalizado, porque o capitalismo deixou de lidar com as disparidades sociais", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.