Professora corta trança de menina sem véu no Egito

Mulher diz que punição foi exigida por colegas de aluna de 11 anos.

BBC Brasil, BBC

07 de novembro de 2012 | 11h03

A professora de uma menina de 11 anos foi condenada no Egito a pagar uma pequena multa e a cumprir uma pena suspensa de seis meses por cortar o cabelo de uma aluna como punição por não usar o véu islâmico.

A menina, Mona Barbesh, havia combinado com o pai que só usaria o hijab quando se sentisse "pronta".

Mas o acerto não foi respeitado na escola, e ela acabou sendo punida pela professora Iman Kilani com o corte de uma das tranças.

A professora acusada afirma ter visto duas meninas da escola sem o véu diversas vezes e que colegas reclamavam disso.

"Como prometi tomar uma atitude, as outras meninas me cobravam insistentemente. Então, quando isso voltou a acontecer, um menino me emprestou uma tesoura e tive de manter a palavra e punir as duas."

Muitas mulheres do Egito usam o hijab. Em Luxor e outras cidades do norte, o hábito começa desde os dez anos.

Um representante do governo diz que não há leis que forcem as escolas a exigir o uso do véu, e a menina Mona vai poder continuar a ir à escola sem o véu islâmico . BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
egitovéuislãmuçulmanohijab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.