Professora é presa nos EUA acusada de fazer sexo com alunos

A professora de inglês Sharon Linton Rutherford, de 30 anos, de uma pequena escola da cidade da Coffeville, no Estado do Alabama, nos EUA, foi presa pelas autoridades locais após ter mantido relações sexuais com pelo menos quatro alunos. Sharon também foi acusada de envolver um dos garotos em um suposto plano para assassinar o seu marido. As autoridades de Coffeeville não revelaram detalhes sobre o caso. Contudo, confirmaram que o marido, um professor de educação física, que no ano passado lecionava na mesma escola que Rutherford, estava bem. A professora foi presa na última terça-feira, acusada de encomendar assassinato, abuso sexual e aliciamento de menores. O xerife Ron Baggette disse que duas das vítimas tinham menos de 16 anos, e que a polícia estava investigando se havia outros alunos envolvidos. Segundo Baggette, alguns dos encontros teriam acontecido dentro da própria escola. Denúncia A Escola Secundária de Coffeeville, que tem apenas 110 alunos, havia recebido uma denúncia sobre a professora em 2004. Uma carta anônima contava que Sharon estava mantendo relações sexuais com os seus alunos. O superintendente das escolas do condado de Clarke, Gerald Stephens, disse que a polícia havia sido informada, porém na época não haviam evidências para sustentar o caso e nem para prender a professora. Em 5 de abril, um dos alunos contou ao diretor da escola que ele havia feito sexo com a professora, o que motivou a prisão. A prefeita da cidade de Coffeeville, Faye Cotten, descreveu Sharon como uma mulher tímida e disse que ela e outras pessoas da comunidade estavam surpresas com a prisão da professora. "Todos estamos comentando o caso e o que não conseguimos entender é, se ela realmente fez isso, por que arriscaria tudo?" finalizou Cotten.

Agencia Estado,

14 Abril 2006 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.