Programa da NSA forneceu 1.000 pistas por ano ao FBI

O programa de espionagem da Agência Nacional de Segurança (NSA, em inglês) dos EUA gerou mais de 1.000 pistas por ano para o FBI, de acordo com documentos revelados recentemente.

AE, Agência Estado

19 de janeiro de 2014 | 19h28

Os documentos legais, revelados na última sexta-feira pelo escritório do diretor da Inteligência Nacional, são frequentemente repetitivos e contêm um número significante de partes editadas, mas também incluem notas de rodapé intrigantes, sugerindo que o programa conduziu a, ou complementou, investigações de terrorismo.

Em 2006, o programa de escuta telefônica gerou uma média de dois tipos de pistas por dia, de acordo com um documento datado em novembro do mesmo ano. Isso significa mais de 700 pistas por ano.

"Em relação a qualquer informação que o FBI recebe como um resultado dessa ordem (informação transmitida, ou indicada para o escritório pela NSA), FBI deve seguir procedimentos de redução de riscos", afirma o documento de 2006. Uma nota de rodapé para este documento acrescenta que a NSA "espera que continuará a fornecer uma média de dois números telefônicos por dia ao FBI".

Os documentos mostraram que no ano seguinte a estimativa subiu para três números por dia, o que pode significar mais de 1.000 pistas por ano.

O documento foi divulgado como parte de um trabalho pré-existente do governo dos EUA para revelar mais detalhes sobre como o programa de escuta telefônica trabalha - uma parte de sua defesa das atividades da NSA. Os documentos foram tornados públicos horas após um discurso do presidente Barack Obama, na sexta-feira, que delineou uma série de alterações nos programas de inteligência, na esteira das revelações do ex-funcionário da NSA Edward Snowden. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEspionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.