Programa de Blair muda justiça britânica após 1.400 anos

Obedecendo à tradição, a rainha Elizabeth II apresentou, em cerimônia solene, o programa legislativo que o governo britânico pretende ver discutido pelo Parlamento. Após um ano dominado por questões internacionais, a maioria das medidas defendidas pela administração de Tony Blair tem impacto interno, como a extinção do título de Lorde Chanceler, existente há 1.400 anos, como parte de uma reforma que dotará o Reino Unido de uma Suprema Corte como mais alta instância jurídica, no lugar dos tradicionais Lordes da Lei. Entre os temas polêmicos apresentados pela rainha em nome do governo, há um aumento do poder da polícia para lidar com ameaças terroristas; uma autorização para as universidades aumentarem seus preços; preparação para a exigência de um documento de identidade para os cidadãos britânicos; e dar aos casais de mesmo sexo direitos equivalentes aos do matrimônio.O governo ainda propõe um projeto de lei permitindo a realização de um referendo sobre a adesão ao euro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.