Proibição não tem base legal

Não existem leis que proíbam as sauditas de dirigir ou punições previstas para esses casos, mas clérigos conservadores que dominam o país editaram fatwas (decretos islâmicos) nesse sentido. É com base nesses decretos que o governo não permite que as mulheres tirem carteira de habilitação. No entanto, muitas mulheres sauditas que viveram no exterior retornaram com carteiras internacionais.

O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2011 | 03h05

A interpretação da sharia (lei islâmica) pelos sauditas wahabitas - seguidores da versão mais extremista do Islã - também proíbe à mulher viajar, trabalhar, casar-se ou divorciar-se, ser admitida em um hospital ou viver sozinha sem a permissão de um homem da família.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.