Proibida a venda de refrigerantes e balas nas escolas de Los Angeles

O distrito escolar de Los Angeles proibiu a venda de refrigerantes e balas nas escolas durante os horários de aula, com o fim de zelar pela saúde dos estudantes. A medida, que segue o exemplo dos colegas de Oakland na área da baía de San Francisco, foi unanimemente adotada pela Junta de Educação do Distrito Escolar Unificado de Los Angeles, e deverá entrar em vigor a partir de janeiro de 2004. O distrito escolar de Los Angeles, o maior do país depois do de Nova York, conta com 677 escolas e 750.000 estudantes. O distrito escolar de Oakland foi o primeiro no estado da Califórnia a proibir a venda de refrigerantes e confeitos. Ali, a medida entrará em vigor em fevereiro próximo. As escolas de Los Angeles permitirão o consumo de água, leite e isotônicos que contenham menos de 42 gramas de açúcar por embalagem de meio litro. Os estudantes só poderão comprar refrigerantes nas máquinas após o final das aulas. A razão da nova política é a epidemia de obesidade entre os escolares, disse a nutricionista Peggy Agron, do Departamento de Saúde da Califórnia. Segundo um estudo, mais de um quarto dos escolares entre 9 e 17 anos têm excesso de peso. Uma lata de refrigerante contém 150 calorias. Um aluno que toma refrigerantes acaba acrescentando entre 15 e 20 colheres de açúcar por dia no organismo.

Agencia Estado,

28 Agosto 2002 | 16h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.