Projeções mostram empate na câmara baixa italiana

A disputa pelas cadeiras na Câmara Baixa do Parlamento da Itália está acirrada, segundo mostram projeções feitas pelo Instituto Piepoli e a emissora estatal de televisão RAI. A coalizão de centro-esquerda liderada por Pier Luigi Bersani teria 29,1% dos votos, enquanto o grupo de centro-direita comandado por Silvio Berlusconi ficaria com 28,6% e o Movimento Cinco Estrelas, do comediante Beppe Grillo, obteria 26,3%.

AE, Agência Estado

25 de fevereiro de 2013 | 16h05

A coalizão centrista do atual primeiro-ministro Mario Monti aparece com 10,8% dos votos, um pouco acima do piso de 10%, marca abaixo da qual alguns dos partidos menores do grupo poderiam ser excluídos do Parlamento.

Como o partido de Grillo compete sozinho, ou seja, não faz parte de uma coalizão, ele pode se tornar o maior da Câmara. As projeções são baseadas em uma amostra de quase 60% dos votos, colhida em todo o país.

Uma disputa tão apertada pode elevar as tensões na Itália, onde a legislação eleitoral concede um bônus de 55% das cadeiras na Câmara para a coalizão que obtém o maior número de votos. A Casa tem um total de 630 assentos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliaeleiçõescâmara baixa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.