Projeto artístico enfurece a UE

Obra retrata clichês de países europeus

France Presse, O Estadao de S.Paulo

15 de janeiro de 2009 | 00h00

Uma instalação artística que tinha como objetivo interligar os 27 integrantes da União Europeia transformou-se em fonte de discórdia e tensão na sede do Conselho Europeu, em Bruxelas. A obra, encomendada pela República Checa para comemorar sua presidência rotativa do bloco, causou polêmica ao associar cada integrante da UE a estereótipos e clichês.Entre as representações da montagem, que recebeu o nome de Entropa, está o mapa da Bélgica representado por uma caixa de chocolates, um castelo do Drácula na parte da Romênia e um banheiro turco no lugar da Bulgária.Já a Grã-Bretanha não está na obra, sob a justificativa de que "não quer fazer parte" da Europa. A chancelaria búlgara enviou um protesto oficial a Praga e pediu a retirada de sua parte da instalação.O caso ganhou mais atenção quando foi revelado que o artista responsável pelo projeto, David Cerny, inventou a identidade de outros 26 supostos realizadores da obra. Segundo o contrato original, Cerny deveria dividir o trabalho com artistas representantes de todos os países do bloco, mas fez tudo sozinho."A hipérbole grotesca e a mistificação fazem parte dos atributos da cultura checa e a criação de identidades falsas representa uma das estratégias da arte contemporânea", disse Cerny, que pediu desculpas pela "brincadeira". "Sabíamos que a verdade seria descoberta e queríamos saber se a Europa era capaz de rir de si mesma." O futuro da obra, que custou cerca de US$ 60 mil, ainda é incerto, pois Praga ainda está decidindo o que fará com a instalação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.