AFP PHOTO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / SPENCER PLATT
AFP PHOTO / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / SPENCER PLATT

Promotor federal de Nova York alega ter sido demitido por Trump por se negar a renunciar

Preet Bharara foi um dos 46 promotores nomeados pelo governo do ex-presidente Barack Obama que deveriam renunciar após ordem divulgada pelo Departamento de Justiça

O Estado de S.Paulo

11 de março de 2017 | 20h32

NOVA YORK, EUA - O promotor federal do Distrito Sul de Nova York, Preet Bharara, alegou ter sido demitido neste sábado, 11, pelo presidente dos EUA, Donald Trump, após resistir à renúncia de seu cargo como havia sido ordenado pelo Departamento de Justiça.

"Não renunciei. Há alguns instantes fui demitido", anunciou Bharara em sua conta no Twitter.

Ele foi um dos 46 promotores federais nomeados pelo governo do ex-presidente Barack Obama que deveriam renunciar após ordem divulgada na sexta-feira 10 pelo Departamento de Justiça.

A troca dos promotores federais é algo habitual quando há uma mudança na presidência, sobretudo se há alteração do partido no poder, mas Bharara estava em uma situação particular.

Em novembro de 2016, quando já estava eleito, mas ainda não havia assumido o cargo, Trump pediu ao promotor que continuasse depois de sua posse, uma proposta aceita por Bharara.

O promotor se reuniu em novembro na Trump Tower com o presidente e explicou aos jornalistas o pedido para que continuasse no cargo. Segundo Bharara, o novo secretário de Justiça dos EUA, Jeff Sessions, também solicitou que ele seguisse no Distrito Sul.

Por enquanto, não se sabe porque Trump e Sessions mudaram de ideia. A imprensa local especula como razão os intensos confrontos entre o governo e o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, padrinho político de Bharara.

A Promotoria do Distrito Sul de Nova York é responsável por várias regiões da cidade, incluindo Manhattan. O escritório de Bharara lida com casos de terrorismo internacional, narcotráfico e fraudes nas bolsas de valores em Wall Street. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Estados UnidosDonald TrumpNova York

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.