Promotor francês recomenda condenação de Villepin

Um promotor francês recomendou hoje que o ex-primeiro-ministro Dominique de Villepin seja condenado por sua participação numa campanha de difamação contra o presidente Nicolas Sarkozy. O promotor Jean-Claude Marin pediu que Villepin permaneça em liberdade condicional por 18 meses e pague uma multa de 45 mil euros (US$ 64.370). Ainda não foi definida uma data para o veredicto.

AE-AP, Agencia Estado

20 de outubro de 2009 | 17h54

O tribunal parisiense investiga quem estava por trás de uma campanha para desacreditar Sarkozy em 2004, quando ele ainda era ministro e tinha intenção de chegar à presidência. Sarkozy disse que a campanha de difamação tinha como objetivo impedir sua candidatura para presidente em 2007. Ele abriu um processo afirmando acreditar que Villepin era "o instigador primário" por trás da campanha.

O advogado de Sarkozy, Thierry Herzog, disse que o processo mostra que Villepin, "com sua falta de ação, deixou a ação fraudulenta continuar".

Villepin, que também era ministro na época, negou ter orquestrado o complô e disse que Sarkozy está usando o julgamento para fins políticos.

O caso é de 2004, quando tanto Sarkozy quanto Villepin lideravam as expectativas dos conservadores para suceder o então presidente Jacques Chirac.

Tudo começou com uma misteriosa lista de supostos clientes que manteriam contas secretas numa câmara de compensação de Luxemburgo. Além de Sarkozy, faziam parte da lista outros políticos e empresários franceses. As contas teriam sido criadas para o recebimento de subornos provenientes da venda de navios de guerra para Taiwan, realizadas em 1991.

Villepin recebeu a lista e pediu a um general da reserva que a investigasse. O documento era uma fraude, mas quando isso foi provado ele já havia sido divulgado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.