Promotor pede quatro anos para ex-presidente da Livedoor

A promotoria japonesa pediu nesta sexta-feira uma condenação de quatro anos de prisão para o fundador do grupo de internet Livedoor, Takafumi Horie, por supostas fraudes financeiras e violação das leis do mercado de capitais, informaram fontes legais.Segundo os promotores, os argumentos de Horie em sua defesa "são pura ficção para fugir da sua responsabilidade" e contrasta com provas como os e-mails enviados, disseram fontes citadas pela agência japonesa "Kyodo".Segundo as acusações, Horie, de 34 anos, manipulou os resultados da Livedoor e divulgou informação falsa sobre a compra de uma editora a fim de elevar o preço das ações do grupo.Horie, considerado antes um símbolo das empresas "pontocom", se declarou inocente. A defesa voltará a se pronunciar em 26 de janeiro, e o veredicto final sairá em março.Caso seja condenado, Horie poderia receber uma condenação de cinco anos de prisão e uma multa de até US$ 42 mil, segundo a "Kyodo".Horie e outros quatro diretores foram acusados de manipular os números para elevar o valor da Livedoor na bolsa, mostrando lucro de ¥5 bilhões (US$ 42,7 milhões) em 2004, quando na realidade a firma tinha prejuízo de ¥300 milhões (US$ 2,5 milhões).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.