Promotor revela que mentiu sobre caso Polanski

Um promotor aposentado, cujas revelações em um documentário recente sobre o cineasta franco-polonês Roman Polanski, de 76 anos, apontaram irregularidades graves no julgamento do cineasta acusado de abusar de uma garota de 13 anos, em 1977, diz agora que mentiu sobre o caso, afirmou ontem o jornal "Los Angeles Times".

AE-DOW JONES, Agencia Estado

01 de outubro de 2009 | 03h25

David Wells, de 71 anos, disse no documentário "Roman Polanski: Wanted and Desired", que ele tinha conversado com o juiz do famoso caso antes do anúncio da sentença e que, durante a conversa, disse ao magistrado que o cineasta merecia a prisão.

Wells, que na época não foi apontado como promotor do caso, afirmou ao jornal que tinha inventado a história porque pensou que o documentário não iria ao ar no EUA. "Isto não é verdade", disse Wells ao "Los Angeles Times", se referindo ao encontro de portas fechadas. "Eu gostaria de falar disso como um declaração sem efeito, mas a realidade é que foi uma mentira", acrescentou.

No último sábado (26), Roman Polanski foi preso em Zurique, na Suíça, que atendeu o pedido da justiça norte-americana pelo caso, ocorrido em Santa Mônica, próximo a Los Angeles. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Polanskipromotor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.